Tirando as teias de aranha

Na narrativa mais blogueira possível começo esse post dizendo “Oi, que saudades!” Eu fiquei duas semanas sem atualizar o Jabu (a não ser pelo vídeo que fiz com as freiras) porque estava resolvendo alguns problemas que adultos inventam para si – e aproveitei para dar um pulinho ali no Rio Grande (que você pode ver abaixo) – mas agora que eles estão parcialmente resolvidos é hora de volver. E volver com novidades!

Continuar lendo

oi, mãe

O post desta semana vem um dia antecipado e com um toque especial!

Junto com algumas freiras que ficaram no convento neste dia das mães fiz um vídeo para darmos aquele oizim para nossas amadas. A edição não ficou muito legal (o tema pré-definido estragou os cortes), mas como mãe gosta até de porta caneta de rolo de papel higiênico e palito de picolé provavelmente vão gostar do vídeo também.

Então, aqui está nosso porta caneta de rolo de papel higiênico e palito de picolé para nossas mamães

TE AMO, DONA LÍDIA!

9 Animais fofinhos que você vai querer esmagar na sua cara.

giphy 1 – Seria uma heresia fazermos esta lista sem os gatos, porque mesmo eles sendo psicopatinhas à espreita, eles continuam fofos o suficiente para me fazer sofrer para escolher um único(!) gif para representa-los.

giphygua 2- Além do nome bem camarada, os guaxinins são fofos porque são praticamente gatos com mãos. Sempre sorrateiros, tentando roubar a ração de algum gato ou cachorro desavisado, tirando que essa barriguinha gorda deve ser um ótimo travesseiro.

Continuar lendo

O Joe da Ilha

mais uma atualização para o diário de bordo na praça XV. no banco em frente 4 senhorzinhos conversavam e já estava pronta para ser abordada por qualquer um deles: é impossível estar na praça XV e não aparecer alguém querendo te vender chaveiro, um curso-técnico, uma moedinha, moça?
eis que toma frente o Paulo, um desses anjos que a vida põe na nossa vida para lembrarmos que, apesar de tudo, ainda resta esperança para humanidade mesmo que viva na rua, alguns dias sem banho e bebendo ‘uma água mineral especial que estou tomando há alguns dias’. Paulo não pediu moeda, aguardou pacientemente eu terminar uma frase do dia 4 de maio e começou a me perguntar sobre poesia. Dali partimos para a ditadura no Rio, exílio em Londres e uma dança com haitianos, tudo iniciado por Bukowski que ‘como assim você não conhece, menina?’ Continuar lendo