Sete Copas

Nasceu por acaso. Coitada, ninguém a queria ali. A castanha de onde sua semente teimosa escapara, encontrou um pequeno pedaço de 50 cm² de terra para germinar. O dono do terreno havia destinado o espaço para a instalação de uma lixeira, mas demorou tanto para adquirir a bugiganga que a teimosa Sete Copas deu para nascer ali mesmo. Nasceu no lugar do lixo.

As folhinhas verdes enchiam de cor a vizinhança cinzenta e o homem ficou com pena de arrancar a árvrinha da terra. Um golpe de enxada e estaria livre. Resolveu instalar a lixeira ao lado. A família ficou orgulhosa por conseguir uma árvore sem nem ter plantado: no meio de tanto muro e asfalto, a árvore trouxe sombra e um pouco de cor à rotina descorada. Não por muito tempo
A felicidade foi diminuindo conforme as folhas secas da árvore iam aumentando no quintal. O arsenal de jardinagem do homem não era páreo para as folhas. Varria uma,  caia dez. Ensacava cem, no outro dia havia outras cem. As crianças perderam o quintal para os morcegos que dominavam as alturas e vez ou outra  voavam melhor que a esquadrilha da fumaça sob suas cabeças e atrapalhavam as brincadeiras. A gota d’água foi quando a mulher encontrou as roupas com manchas roxas dos cocos maduros. Ver o marido fracassado diante da árvore tudo bem. Ter as crianças dentro de casa sem mandar, ótimo. As roupas sujas por uma arvrezinha indecente que não deveria nem estar ali? Não. Jamais! Vamos cortar isso na semana que vem!

Não podiam. A Agência de Meio Ambiente da prefeitura viria com uma multa caso vissem a árvore cortada. Então vamos chamar a prefeitura, oras! Fizeram o pedido. Espreraram um,  espereram dois,  esperaram sessenta e quatro meses e a AMA não veio. A prefeitura tem tanta árvore centenária para dar conta, acha que vai se preocupar com suas roupas manchadas por causa duma árvore? Não se preocupou.
Precisaram construir um puxadinho para estender as roupas, as crianças brincarem e o marido guardar suas ferramentas.

P.S.: Anos depois,  num acesso de fúria, resolveram dar um jeitinho: meteram o facão na indesejada, deixaram só um galhinho com folhinhas verdes para AMA não aparecer com uma multa – infelizmente não são tão competentes com o serviço de podagem como são eficazes com aplicação de multas. Deixaram só um galhinho com folhinhas verdes, naturalmente, para dar cor à rua cinzenta.
P.S.2: Meses depois as folhas voltaram a cair no quintal.

Indesejada e insistente. Coitada não.

DSC_2650

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s