Todo dia ela vinha

Seus olhos diziam muito, sua expressão corporal também e, embora a situação em que se encontrava não fosse das mais favoráveis, tudo em Alice dizia que ela estava bem.

Alice era feliz.

Talvez seu pior defeito sempre fora esperar demais dos outros. Às vezes era surpreendida com exageradas demonstrações de carinho – em grande parte motivados por seus olhos doces – e às vezes ela esperava por tempo demais, até as circunstâncias mostrarem que daquele mato não sairia coelho.

Tudo bem, ela não se decepcionava.

Alice era feliz. Com seus olhos felizes,  rabo abanando felicidade,  seguia em frente,  buscando alguém que lhe desse um pouco de açúcar ou afeto.